PATRIMÔNIO NATURAL
Pasagem do Rio Jaguaribe

Rio Jaguaribe

O Maior rio do Ceará nasce no município de Tauá e deságua entre os municípios de Fortim e Aracati. Jaguaribe em tupi-guarani significa Rio das Onças. Era considerado o maior rio seco do mundo.

 

Principal rio responsável pelo povoamento da ribeira do Jaguaribe e para o desenvolvimento da indústria da charque ou carne seca como ficou conhecida. A maior parte do território quilombola do Cumbe, está situado na margem direita do rio Jaguaribe, entre dunas e manguezais, próxima a foz.

Mangue popularmente conhecido como sapateiro

Manguezal

Próximo a foz do rio Jaguaribe margem direita no encontro da água doce com a salgada se encontra a quarta maior área de mangue do estado do Ceará com 11,64 ha. É nesta área que está inserida a comunidade do Cumbe onde desenvolve várias atividades de pesca e mariscagem e assim garante sua segurança alimentar do mangue que a cerca.

Campos de dunas na comunidade quilombola do Cumbe

Dunas

O campo de dunas do Cumbe é bem significativo, nesse ambiente podemos encontrar os sítios arqueológicos, as dunas fixas e móveis, as lagoas interdunares e diversas plantas nativas como murici, marpirunga, manipuçá, guagiru, maçaranduba, ubaia, podói e uma fauna bastante diversificada de pássaros, insetos e mamíferos. Alem de ser grande reservatório natural de água doce as dunas desempenham funções vitais para os ecossistemas associados.

Carnaubas

Áreas de carnaubais

 A carnaubeira conhecida como mata ciliar, é uma palmeira que habita as margens de rios da região nordeste. Além de ser conhecida como árvore da vida porque tudo dela se aproveita. É muito usada na construção de casa e para fazer artesanato. Nos últimos anos a carnaubeira vem sendo desmatada em grande quantidade para a instalação das fazendas de camarão – carcinicultura. Na região do Cumbe a carnaubeira é usada em diversas atividades da comunidade além de ser morada de muitas espécies de pássaros.

Lagoas interdunares do quilombo do Cumbe

Lagoas interdunares

Nas dunas do Cumbe no período das chuvas formam-se diversas lagoas naturais onde a comunidade secularmente utiliza essas lagoas nas diversas atividades como lazer, banho, plantar, pescar, lavar roupa, etc.

Rio Jaguaribe no Quilombo do Cumbe

Ilhas do Jaguaribe

Na região do Cumbe diversas são as ilhas do Jaguaribe, onde a comunidade realiza suas atividades de pesca e mariscagem. Dentre elas podemos citar a Ilha da Carapeba, Ilha Grande, Mosqueiro, Emas, Mulungu, Ilhas do Caldereiro, Ilha do Pinto, etc.

De difícil acesso, para chegar temos que cruzar um campo de duna móvel que pode ser de bugre, a pé ou a cavalo. É uma praia deserta entre a foz do Jaguaribe e a praia de Canoa Quebrada. Sendo utilizada com mais frequência no inverno pelos pescadores/as e moradores. Hoje para se chegar a praia utilizando a estrada de acesso ao parque de energia eólica, tem que ter autorização da empresa eólica.

Praia do Cumbe

Praia no Quilombo do Cumbe

Fauna

Fauna – A fauna do Cumbe é muito diversa, nos variados ecossistemas encontramos variada presenças de pássaros, insetos, peixes, mariscos, crustáceos, insetos, répteis e mamíferos. Alguns já em fase de extinção como o gato- do- mato ou jaguatirica, o canário amarelo, o guaiamum, etc.

Estuario do Rio Jaguaribe do Cumbe

Flora

Flora – A flora local é rica nos mais variados aspectos, cada uma com características próprias do seu habitat e função na cadeia ecológica. Sendo muitas usadas na construção de casas, remédios caseiros, artesanato, construção de embarcações, currais de peixes, etc.

Vegetação no Quilombo do Cumbe
Carnaubais e apicuns

Apícum

Apícum – Em tupi-guarani significa terra alagada pela maré. É lugar de morada de muitas espécies de crustáceos e aves, ficando entre o mangue e os tabuleiros. Área usada pelos pescadores para chegar ao rio e gamboas. Hoje, essa área está quase toda tomada pelas fazendas de camarão.